Logo-barrasonline

Publicada em 17/11/2016 - 12h14
Da Redação

Ex-governador do Rio, Sérgio Cabral é preso em nova etapa da Lava Jato

Polícia Federal investiga o desvio de dinheiro público federal em obras pelo governo do Rio


Ex-governador do Rio, Sérgio Cabral é preso em nova etapa da Lava Jato Momento Verdadeiro/Fonte: O DIA

O ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral foi preso na manhã desta quinta-feira na 37ª fase da Operação Lava Jato, uma operação conjunta da Polícia Federal, com o Ministério Público Federal e a Receita Federal. Cabral é acusado de chefiar um esquema criminoso que movimentou mais de 200 milhões de reais em propinas a agentes estatais em obras executadas com recursos federais.

“A apuração em curso identificou fortes indícios de cartelização de grandes obras executadas com recursos federais mediante o pagamento de propinas a agentes estatais, incluindo um ex-governador do Estado do Rio de Janeiro”, diz nota divulgada pela PF.

Participam da operação 230 policiais federais que cumprem 38 mandados de busca e apreensão, 8 mandados de prisão preventiva, 2 mandados de prisão temporária e 14 mandados de condução coercitiva, expedidos pela 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro. Agentes cumprem ainda 14 mandados de busca e apreensão, 2 mandados de prisão preventiva e 1 mandado de prisão temporária expedidos pela 13ª Vara Federal de Curitiba. A nova etapa foi batizada de Operação Calicute, uma referência à tormenta de Cabral em Calicute, na Índia. As investigações da Operação apontam cartelização de obras em estádio do Maracanã e do Arco Rodoviário Metropolitano.

Por volta das 6 horas da manhã, três viaturas da PF – duas descaracterizadas – já estavam em frente ao prédio de Cabral, no Leblon, Zona Sul da capital fluminense. Cabral é o segundo ex-governador do Rio preso em dois dias – na manhã desta quarta-feira Anthony Garotinho foi preso acusado de compra de votos.

São investigados os crimes de organização criminosa, corrupção passiva, corrupção ativa, lavagem de dinheiro, entre outros. Também participam das diligências 19 procuradores do MPF e cinco auditores fiscais da Receita. A Operação Calicute é resultado de investigação em curso da Lava Jato no Rio de Janeiro, em atuação coordenada com a força-tarefa do Paraná.

E em Barras?

Tramita na Justiça Eleitoral, o processo envolvendo o Propinoduto Municipal e, ao que tudo indica a assessora do Prefeito Edilson Capote, Jeane Castelo Branco, principal envolvida no suposto esquema de crime organizado e formação de quadrilha, por lavagem de dinheiro público, começará a ser ouvida pelo Ministério Público e, com certeza, fará delação premiada.

A sociedade barrense aguarda ansiosa pelos resultados da investigação, torcendo para que todos os envolvidos sejam punidos, inclusive com prisões.


Fonte: 180 graus, Com informações da VEJA.com
Editor: Apoliana Oliveira


Imprimir Comunicar erro Bookmark and Share